A ELABORAÇÃO DE MODELOS DIGITAIS DE ELEVAÇÃO COMO SUPORTE PARA IDENTIFICAÇÃO DE ÁREAS DE RE-EXISTÊNCIA DA PRODUÇÃO FAMILIAR DE BASE AGROECOLÓGICA NA REGIÃO DA MATA SUL DE PERNAMBUCO

Robson Soares Brasileiro

Resumo


Este artigo procura investigar o desenvolvimento de iniciativas agroecológicas em região de predominância do setor sucro-energético na Zona da Mata Sul de Pernambuco. Através de uma perspectiva geográfica, procura-se analisar a trajetória e os obstáculos que dificultam a construção de territorialidades alternativas para a agricultura familiar de base agroecológica. As unidades de produção integradas na região em apreço são fortalecidas mediante processos de intercâmbios e articulação entre sujeitos sociais (pessoas) e atores sociais (instituições) viabilizando estratégias de inovação ao mesmo tempo em que revalorizam saberes tradicionais e uma relação mais harmoniosa entre os sistemas de produção agrícola e a natureza. Os territórios da agricultura familiar de base agroecológica são espaços conectados em várias escalas territoriais e quase imperceptíveis na imensidão do “deserto verde da cana-de-açúcar” na Mata Sul, constituem-se como uma forma de contestação da produção familiar perante o capital hegemônico, materializando-se enquanto um processo de “re-existência”, isto é, novas estratégias territorializantes dos sujeitos e atores sociais aqui estudados.

Palavras-chave


Agricultor familiar. Re-existência. Mata Sul de Pernambuco.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Equador, ISSN 2317-3491, Universidade Federal do Piauí.

QUALIS A4