Tecnologia e alienação do mundo em Hannah Arendt

Fábio Abreu Passos

Resumo


Uma das tópicas de maior relevância abordada por Hannah Arendt em sua Opus Magnum, A Condição Humana, é a que se refere ao processo de alienação do homem moderno em face à sua condição humana e, consequentemente, seu desenraizamento em relação ao mundo. Este processo tem como evento emblemático o lançamento ao espaço, em 1957, de um satélite artificial criado pela tecnologia humana e que se caracteriza como o primeiro passo rumo à tentativa do homem moderno de fugir de sua “prisão” na Terra. O presente artigo tem como objetivo principal analisar, a partir fundamentalmente do Prólogo d’A Condição Humana, de que forma as reflexões arendtianas acerca da alienação do homem em face da Terra, que possui como fio condutor a tecnologia moderna, acarretou no seu distanciamento do mundo, o qual é exemplificado pelo fomento da linguagem simbólica-matemática.


Palavras-chave


Tecnologia; Alienação; condição humana; desenraizamento; linguagem.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. A Condição Humana. Trad. Roberto Raposo. Revisão e Apresentação Adriano Correia. 11ª Ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

______. Entre o Passado e o Futuro. Trad. Barbosa. São Paulo: Perspectiva, 2000.

COMPILLO, Neus. Hannah Arendt, técnica y política. “La tecnología como un desarrollo biológico de la humanidad”. Mètode, Universitat de València. Disponível em: http://metode.cat/es/Revistas/Articulo/Hannah-Arendt-tecnica-i-politica. Acesso em: 13 de fevereiro de 2016.

CORREIA, Adriano (Org). Hannah Arendt e A condição humana. Salvador: Quarteto, 2006.

DUARTE, André. Vidas em risco: crítica do presente em Heidegger, Arendt e Foucault. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos: O breve século XX: 1914-1991. Trad. Marcos Santar-rita. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

LYRA, Edgar. Hannah Arendt e a ficção científica. O que nos faz pensar, nº29, maio de 2011, p. 97-122.

NETO, Rodrigo Ribeiro Alves. Alienações do mundo: uma interpretação da obra de Hannah Arendt. Rio de Janeiro, Edições Loyola: 2009.

PASSOS, Fábio Abreu dos. O conceito de mundo em Hannah Arendt: para uma nova filosofia política. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2014.

REVISTA CIÊNCIA HOJE. Um planeta vermelho para chamar de lar. http://www.cienciahoje.org.br/noticia/v/ler/id/1983/n/um_planeta_vermelho_para_chamar_de_lar. Acesso em 16 de fevereiro de 2017.

TIJMES, Pieter. The Archimedean point and eccentricity: Hannah Arendt's philosophy of Sci-ence and technology. Inquiry, n° 35, 29 Aug 2008, p. 389-406.

WEYEMBERGH, Maurice. L’âge moderne et le monde moderne. Annals de l’institut de phi-losophie et de sciences morales, p. 157-1173, 1992.




DOI: https://doi.org/10.26694/pensando.v8i15.5761




INDEXADA EM/INDEXED BY:

Logotipo do Sumarios   Logotipo do DOAJ Logotipo do IBICT Logotipo do LatIndex 

Logotipo da ANPOF Logotipo da MIAR

Logotipo do Portal Periodicos Logotipo da Diadorim Logotipo do Philosopher's Index

 



ENDEREÇO/MAIL ADDRESS:

Universidade Federal do Piauí, Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Centro de Ciências Humanas e Letras, Campus Min. Petrônio Portela,

CEP 64.049-550,  Teresina - PI, Fone: (86) 3237 1134  E-mail: revista.pensando@gmail.com



 

LINKS:

Logotipo da Capes Logotipo da DialnetLogotipo do CNPq Logotipo da UFPI

 


ISSN 2178-843X