Tecnologia e alienação do mundo em Hannah Arendt

Fábio Abreu Passos

Resumo


Uma das tópicas de maior relevância abordada por Hannah Arendt em sua Opus Magnum, A Condição Humana, é a que se refere ao processo de alienação do homem moderno em face à sua condição humana e, consequentemente, seu desenraizamento em relação ao mundo. Este processo tem como evento emblemático o lançamento ao espaço, em 1957, de um satélite artificial criado pela tecnologia humana e que se caracteriza como o primeiro passo rumo à tentativa do homem moderno de fugir de sua “prisão” na Terra. O presente artigo tem como objetivo principal analisar, a partir fundamentalmente do Prólogo d’A Condição Humana, de que forma as reflexões arendtianas acerca da alienação do homem em face da Terra, que possui como fio condutor a tecnologia moderna, acarretou no seu distanciamento do mundo, o qual é exemplificado pelo fomento da linguagem simbólica-matemática.


Palavras-chave


Tecnologia; Alienação; condição humana; desenraizamento; linguagem.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. A Condição Humana. Trad. Roberto Raposo. Revisão e Apresentação Adriano Correia. 11ª Ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

______. Entre o Passado e o Futuro. Trad. Barbosa. São Paulo: Perspectiva, 2000.

COMPILLO, Neus. Hannah Arendt, técnica y política. “La tecnología como un desarrollo biológico de la humanidad”. Mètode, Universitat de València. Disponível em: http://metode.cat/es/Revistas/Articulo/Hannah-Arendt-tecnica-i-politica. Acesso em: 13 de fevereiro de 2016.

CORREIA, Adriano (Org). Hannah Arendt e A condição humana. Salvador: Quarteto, 2006.

DUARTE, André. Vidas em risco: crítica do presente em Heidegger, Arendt e Foucault. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos: O breve século XX: 1914-1991. Trad. Marcos Santar-rita. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

LYRA, Edgar. Hannah Arendt e a ficção científica. O que nos faz pensar, nº29, maio de 2011, p. 97-122.

NETO, Rodrigo Ribeiro Alves. Alienações do mundo: uma interpretação da obra de Hannah Arendt. Rio de Janeiro, Edições Loyola: 2009.

PASSOS, Fábio Abreu dos. O conceito de mundo em Hannah Arendt: para uma nova filosofia política. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2014.

REVISTA CIÊNCIA HOJE. Um planeta vermelho para chamar de lar. http://www.cienciahoje.org.br/noticia/v/ler/id/1983/n/um_planeta_vermelho_para_chamar_de_lar. Acesso em 16 de fevereiro de 2017.

TIJMES, Pieter. The Archimedean point and eccentricity: Hannah Arendt's philosophy of Sci-ence and technology. Inquiry, n° 35, 29 Aug 2008, p. 389-406.

WEYEMBERGH, Maurice. L’âge moderne et le monde moderne. Annals de l’institut de phi-losophie et de sciences morales, p. 157-1173, 1992.




DOI: https://doi.org/10.26694/2178843X.vl8iss15pp31-44


INDEXADA EM/INDEXED BY:

Logotipo do Sumarios Logotipo do DOAJ Logotipo do IBICT Logotipo do LatIndex

Logotipo do SEER Logotipo da ANPOF Logotipo da MIAR

Logotipo do Portal Periodicos Logotipo da Diadorim Logotipo do Philosopher's Index

 



ENDEREÇO/MAIL ADDRESS:

Universidade Federal do Piauí, Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Centro de Ciências Humanas e Letras, Campus Min. Petrônio Portela,

CEP 64.049-550,  Teresina - PI, Fone: (86) 3237 1134  E-mail: revista.pensando@gmail.com



LINKS:

Logotipo da Capes Logotipo da DialnetLogotipo do CNPq Logotipo da UFPI

 


ISSN 2178-843X