ANÁLISE DA FRAGMENTAÇÃO FLORESTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO CATU, ESTADO DA BAHIA-BRASIL

Ana Lucia da Silva Bispo, Mara Rojane Barros de Matos, Edilma Nunes de Jesus

Resumo


O presente estudo avaliou a estrutura da paisagem da bacia hidrográfica do rio Catu, através da análise do grau de fragmentação florestal por meio dos índices e métricas da paisagem. Nesta perspectiva, para delimitar os fragmentos florestais foram utilizadas técnica da fotointerpretação de imagem ortofoto ano 2011 em ambiente SIG (Sistema de Informação geográfica), ArcGis 10.1. As análises foram realizadas através dos cálculos da vulnerabilidade relativa das manchas (VER), conectividade estrutural a partir de expansão de bordas em cenários simulados, além da verificação dos fragmentos encontrados na paisagem através das métricas do Patch Analyst 5.0, a saber: Métricas de Borda (TE), Área (CA e ZELAND), Proximidade (MNN), Densidade (NUMP, MPS, PSSD e Pscov) e Forma (MSI). Em 42.556 hectares de área, foram verificados 441 fragmentos, cujo somatório totalizam 2.577 hectares, correspondendo apenas 6,05% da área total da bacia. A VER mostrou que 69,5% dos fragmentos foram classificados como de alta vulnerabilidade e através da análise da conectividade observou- se que os fragmentos estão isolados na paisagem, distanciados entre si aproximadamente 383 metros, além disso, os mesmos possuem o tamanho médio de 5,8 ha apresentando formato irregular em todas as classes de tamanho. De acordo com o cenário encontrado é possível concluir que a área em estudo está passível à perda da biodiversidade e, além disso, os recursos hídricos desta bacia também estarão comprometidos devido a redução das suas áreas de florestas nativas.


Palavras-chave


Ecologia de paisagem. Métricas da paisagem. Floresta tropical.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26694/equador.v11i1.13184

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista da Pós-graduação em Geografia, do Centro de Ciências Humanas e Letras da UFPI

 ISSN 2317-3491

A Revista está atualmente indexada às seguintes bases de dados: LATINDEX, DIADORIM, IBICT/SEER, SUMÁRIOS.ORG, PERIÓDICO CAPES, GOOGLE ACADÊMICO, GENAMICS JOURNAL SEEK.

A REVISTA EQUADOR faz uso do DOI (Digital Object Identifier), através da associação com o CrossRef.